terça-feira, 5 de dezembro de 2006

A crise da monarquia

Nos finais do séc. XIX, Portugal encontrava-se numa crise económica, política e social. Na comemoração dos 300 anos de Camões, o governo Republicano, aproveitando-se da situação, divulgou as suas ideias de igualdade. Nesta época os preços encontravam-se elevados e a população acusa o rei de nada fazer para alterar a situação. Em várias zonas do País criavam-se grupos contra o poder do rei. A maioria das fábricas situavam-se perto de Lisboa e Porto, fazendo assim com que o resto da população portuguesa vivesse da agricultura. Para as obras construir, Portugal pediu empréstimos ao estrangeiro. A população tinha de pagar mais impostos para conseguir pagar as dívidas ao estrangeiro, o que não agradava a população que via as duas condições de vida dificultadas. Os burgueses estavam descontentes porque alguns bancos e fábricas foram á falência. A revolução estourou porque os operários estavam também descontentes porque os salários eram mínimos e estavam sempre a ser ameaçados de desemprego.

4 comentários:

lele disse...

hum..daora...kkkkkkkk

lele disse...

hum...legal

danil tonhasma disse...

muito interessante,mas falta boa parte do que aconteceu diverdade!!!

Nathielly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.